quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Mulher precisar provar que dependia de ex-marido para receber pensão

 
Não é possível presumir a dependência econômica de uma mulher com seu ex marido. Por isso, para que ela receba pensão por morte do INSS, precisa provar que dependia do ex-cônjuge para viver. 
 
Assim decidiu o desembargador federal Souza Ribeiro, da 9ª Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, observando que quando o casal se separou, não ficou estabelecido o pagamento de pensãoalimentícia.
“Verifica-se que a parte autora se separou judicialmente do finado marido, sem que fosse estabelecida prestação de alimentos. Assim, deveria comprovar que dele dependia economicamente, ou que passou a necessitar da pensão, para garantia de sua sobrevivência”, explica o desembargador, antes de apontar que não há provas da dependência da mulher.
Em seu depoimento, a mulher afirmou possuir meios de sustento, já que sempre trabalhou como cabeleireira e como manicure, inclusive recolhendo INSS. Ela explicou ainda que mora com a mãe desde a separação e recebia apenas um auxílio do ex-marido.
 
Segundo a jurisprudência, o ex-cônjuge que recebia pensão de alimentos tem direito ao benefício de pensão por morte do segurado e concorre em igualdade de condições com os demais dependentes. Contudo, se não havia o pagamento de pensão alimentícia, a presunção de dependência econômica já não existe e o requerente da pensão por morte deve comprovar, então, que continuava a depender do ex-cônjuge.
 
Fonte: Conjur

 


 

Copyright © 2007 - 2015 O Conciliador - O Conciliador - Todos os direitos reservados.

Site Seguro
O Conciliador preza pela qualidade das informações e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, entretanto não nos responsabilizamos por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes. Você pode usar as informações contidas nesse site, mas não deve nunca deixar de fazer suas próprias pesquisas e coleta de informações antes de tomar qualquer decisão. Antes de fechar negócio confirme as informações disponíveis. Não nos responsabilizamos por informações imprecisas ou desatualizadas que podem ser encontradas neste site. Nós frequentemente linkamos para outros sites, entretanto não garantimos a veracidade das informações prestadas pelos ofertantes nem julgamos a sua qualidade das ofertas. Nós procuramos responder dúvidas dos nossos leitores. Isso não significa que somos obrigados a responder todas as perguntas que recebemos. Também não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas.
Tudo Sobre:

O Conciliador

.