Contratante de serviço terceirizado também responde por danos a terceiros

Contratante de serviço terceirizado também responde por danos a terceiros
A empresa contratante de serviço terceirizado é parte legítima para responder pelos danos causados a terceiros. Assim entendeu a 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça ao obrigar uma distribuidora de bebidas do Rio de Janeiro a pagar R$ 93 mil por danos morais, igual valor por danos estéticos e pensão vitalícia a um menor que, em 2001, quando tinha sete anos de idade, foi atropelado por um caminhão que entregava produtos fabricados pela companhia.
A empresa também terá de pagar R$ 50 mil por danos morais à mãe do acidentado. Corrigida, a indenização devida à vitima soma, hoje, cerca de R$ 500 mil. A companhia pagará ainda consultas periódicas com especialistas diversos, tratamento psicológico, cirurgia reparadora, fisioterapia e acompanhante para a vítima enquanto for necessário. Essa exigência ocorre porque, devido ao acidente, a criança foi submetida a várias cirurgias, que deixaram danos estéticos.
Em recurso especial ao STJ, a empresa alegou que não teria legitimidade para responder à ação porque o serviço de transporte de seus produtos era feito por empresa terceirizada. Alegou também que os pais foram negligentes nos cuidados com a criança, que brincava sozinha na rua, o que ensejaria culpa concorrente.
Segundo o relator, ministro Raul Araújo, a jurisprudência do STJ estabelece que a empresa contratante de serviço de frete é parte legítima para responder pelos danos causados a terceiros em acidente de trânsito se o veículo estava a seu serviço. A alegada culpa dos pais foi não foi analisada porque o caso já havia passado pelo tribunal local, e o recurso especial não permite a reanálise de provas.
Apesar de manter a condenação, Raul Araújo acolheu a argumentação da empresa em relação ao valor de consultas médicas. Para ele, o valor estipulado anteriormente (um salário mínimo) extrapola a média do que é cobrado no país. Desse modo, o julgador reduziu o montante à metade. A 4ª Turma estabeleceu ainda que seja verificada a cada 18 meses a necessidade de acompanhante.
Sobre a pensão mensal, a turma confirmou a decisão do tribunal fluminense quanto à necessidade de constituição de capital para garantir seu pagamento, mas explicou que o juízo da execução, avaliando a capacidade econômica da empresa e demais circunstâncias do caso, poderá admitir a inclusão em folha de pagamento, conforme prevê o artigo 475-Q do Código de Processo Civil. Com informações da Assessoria de Imprensa do STJ.
Clique aqui para ler o acórdão.

REsp 1344649
Fonte: Revista Consultor Jurídico, 7 de novembro de 2015, 14h49

ADM: "Participar da O Conciliador é algo maravilhoso. Você tem a oportunidade de mudar sua vida financeira, sua relação com o dinheiro, e ainda tem a oportunidade de ajudar outras pessoas e empresas". Facebook


 

Copyright © 1999 - 2017 O Conciliador - [oconciliador.net] Todos os direitos reservados.

Site Seguro
Política de Privacidade. A O Conciliador preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, entretanto não nos responsabilizamos por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes. Você pode usar as informações contidas nesse site, mas não deve nunca deixar de fazer suas próprias pesquisas e coleta de informações antes de tomar qualquer decisão. Nós procuramos responder dúvidas dos nossos leitores. Isso não significa que somos obrigados a responder todas as perguntas que recebemos. Também não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas. Elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc.
Tudo Sobre:

Recuperação de Créditos, Cobrança Judicial, Recuperação de Empresas, Revisão de Dívidas Empresariais, Banco Itaú S.A., Banco Bradesco S.A., Banco Volkswagen S.A., Busca e Apreensão, Banco Toyota S.A., Banco Santander S.A., Banco Itaucard S.A., Banco Votorantim S.A., HSBC Bank Brasil S.A., HSBC Bank Brasil S.A., Recuperação de Créditos, Banco Panamericano S.A., Dano Moral, Banco Randon S.A., Banco Sofisa S.A., Banco Mercedes-Bens do Brasil S.A., Banco Safra S.A.>, BV Financeira S.A., Solução de Dívidas, Banco Honda S.A. , Hipercard Banco Múltiplo S.A., Banco Morgan Stanley S.A., Banco John Deere S.A., SICREDI S.A., Banco Alfa S.A., Banco ABN AMRO Real S.A., Banco do Brasil S.A., Banco Capital S.A., Banco Petra S.A., Scania Banco S.A.

.