[Advluz] - Dívidas: Aprenda em 7 passos como negociar

Dívidas
Aprenda como negociar dívidas em 7 passos. Isso mesmo, embora possuir dívidas possa parecer algo complexo de se resolver, com essas dicas de ouro você vai aprender como negociar suas dívidas em 7 passos.

7 passos para aprender negociar dívidas

Antes de adentrarmos no passo a passo de como negociar dívidas, saiba que ter o nome sujo é mais prejudicial do que você imagina, por este motivo, é importante que você saiba da recente decisão da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que por maioria dos votos decidiu em julgamento de recurso especial (Resp) 1316117, que, vencida e não paga a dívida, inicia-se no dia seguinte a contagem do prazo de cinco anos para a permanência do nome dos devedores em cadastros de proteção ao crédito, como: SPC Brasil e Serasa Experian, independente da data em que o credores (Bancos, Financeiras, Lojas) efetivaram a inscrição do nome do consumidor nos respectivos bancos de dados.

Assim, mesmo que você possua uma dívida muito grande e considere impagável por conta das suas condições financeiras, não se preocupe, neste texto vamos fornecer 7 passos importantes que você deverá seguir para negociar suas dívidas e limpar seu nome em pouco tempo.

Definição de Dívidas

Dívida é uma obrigação que um pessoa tem de pagar, reembolsar ou satisfazer o pagamento (geralmente em dinheiro) a outro sujeito. Relativamente as pessoas físicas e jurídicas, que trataremos neste artigo, as dívidas são contas a pagar que podem ser contraídas quando o sujeito pede um empréstimo ou quando adquire produtos (ou bens) em prestações.

"O mais importante para não se ter problemas com dívidas é não contraí-las".

Saiba o valor exato das dívidas: 1º Passo

Chegou a hora de obter informações precisas e verdadeiras com relação as suas dívidas, por este motivo, mapeie todas as suas dívidas em fontes confiáveis e junto aos seus credores (bancos, financeiras, lojas, etc.).

Destaca-se que, nem todas as dívidas que estão registradas na SPC Brasil estarão registradas na Serasa Experian e visse versa, pois, os bancos de dados são totalmente diferentes, assim, o seu primeiro passo é consultar seu nome junto as duas empresas, para poder saber quais dívidas estão sujando seu nome.

Também é imperioso destacar que além do julgado acima, o artigo 43 do Código de Defesa do Consumidor, é taxativo no sentido da obrigação do nome do consumidor dever ser excluído dos cadastros negativos após 5 anos, mesmo que a dívida não tenha sido quitada, assim, é importante que se verifique a data em que sua dívida deixou de ser paga.

Dívidas próximas do prazo de exclusão dos cadastros de negativação de crédito são mais simples de negociar e obter desconto.

Não tenha medo ou vergonha de negociar suas dívidas, e não aceite receber ameaças, caso você seja ameaçado(a) através de ligações de cobrança, procure uma delegacia de polícia mais próxima de você e denuncie.

Demonstre interesse em quitar suas dívidas: 2º Passo

Se antecipe, realize o primeiro contato com os credores demostrando seu total interesse em quitar suas dívidas. Hoje, quando você começa consultar suas dívidas de forma on-line e/ou presencial as empresas já ficam sabendo que você está com interesse em efetuar o pagamento das mesmas e já vão começar enviar propostas para você quitar, através do seu e-mail, telefone ou endereço.

Preste muita atenção nas propostas formuladas pelas empresas de cobrança intermediárias, uma dica importantíssima é sempre ir no endereço da empresa, antes de iniciar qualquer negociação, não aceite negociar por telefone e/ou e-mail.

Caso você tenha tempo disponível, não deixe de se deslocar até os escritórios das empresas de proteção ao crédito (SPC Brasil e Serasa Experian), para solicitar os dados de contato do credor que inscreveu sua dívida nos respectivos bancos de dados.

Seja um Negociador de Dívidas: 3º Passo

Jamais, sobre hipótese nenhuma, aceite a primeira proposta do credor, com informações precisas sobre sua dívida, chegou a hora de se tornar um negociador, lembre-se sempre da data em que você deixou de pagar a dívida, e, caso esteja próxima do período de 5 anos, ou seja, próxima da exclusão do registro de negativados, maior será o seu poder de negociação.

Utilize todo o seu poder de argumentação, com informações verdadeiras sobre suas dívidas, com o cálculo do valor real da mesma, exponha o valor que você obteve para o credor, e jamais aceite pagar juros abusivos, demostre que você tem conhecimento necessário de seus direitos, informe que sua dívida tem prazo para sair dos bancos de dados de negativação (SPC Brasil e Serasa Experian).

Busque sempre pagar a prazo e sem juros abusivos, isso fará com que o credor, ofereçam um bom desconto para o pagamento à vista.

Sempre tenha em mente quais são os juros praticados pelo mercado para a modalidade de dívida que você está negociando, pois, pode ser uma boa opção pegar empréstimo com juros menores para quitar a dívida à vista.

Pague a Primeira Parcela da Dívida negociada: 4º Passo

Pagando pela primeira parcela da dívida negociada, obrigatoriamente, seu nome deverá sair da lista de negativados em até 5 dias úteis. Assim, mesmo que você momentaneamente não possua todo dinheiro para quitar as  demais parcelas da dívida, você ganhará um fôlego para correr atrás de melhores alternativas para realizar a quitação definitiva da mesma.

É imperioso destacar que, caso você não pague as outras parcelas, seu nome poderá voltar ao cadastro de negativados em 35 dias, então, use esse período de nome limpo para encontrar melhores alternativas para quitar as próximas parcelas, caso esteja desempregado, corra atrás de um trabalho.

Assim, após ter efetuado o pagamento da primeira parcela da dívida negociada e sair dos cadastros de proteção ao crédito (SPC Brasil e Serasa Experian), chega o momento em que você precisa criar estratégias para quitar o restante da dívida, outra boa estratégia é aproveitar o nome limpo para buscar por empréstimos sem a existência de juros abusivos.

Não Aceite Qualquer Proposta para quitação da dívida: 5º Passo

Como informado anteriormente no 3º Passo, jamais aceite a primeira proposta do credor (banco, financeira, loja, etc.), procure ter o controle da negociação, permita que o credor fale tudo o que desejar, preste bastante atenção, ouça as propostas, anote todas as informações relevantes, agradeça e não feche nenhum acordo. Informe que você vai pensar sobre as propostas e retornará o contato.

Retorne o contato para o credor (banco, financeira, loja, etc.), na data combinada, informe que a proposta está e/ou não dentro de suas possibilidades de pagamento e solicite novas propostas caso sentir necessidade, repita esta estratégia até que o credor (banco, financeira, loja, etc.), chegue ao valor que você julgue ser correto. Não chegando a um valor correto, siga as orientações do 6º Passo abaixo.

Realize uma Contraproposta para quitação da Dívida: 6º Passo

Geralmente, aguardar para realizar um acordo no tempo certo costuma ser recompensador, pois, neste momento você já sabe qual é a melhor proposta do do credor (banco, financeira, loja, etc.), assim, chegou a sua hora de enviar uma contraproposta, dentro da sua capacidade de pagamento.

Lembre-se de jamais realizar uma contraproposta que prejudique o seu sustento ou o sustento de sua família, afinal, você está fazendo de tudo para negociar a sua dívida.

Embora essa estratégia de negociação de dívida seja cansativa e um pouco demorada, o resultado costuma ser satisfatório.

Conheça o serviço de um advogado especializado: 7º Passo

Um advogado especializado pode facilitar a vida de pessoas e empresas, que por qualquer motivo que seja, precisam de alguém experiente e de confiança para estar a frente das negociações.

Seja por falta de experiência, seja por problemas pessoais, seja por não desejar ficar recebendo inúmeras ligações de cobrança e/ou por qualquer outro motivo, não se preocupe, um advogado especializado em renegocião de dividas é o correto para estar lhe ajudando

Assim, caso você está querendo quitar suas dívidas, recomendamos que você converse com um advogado especializado no assunto, pois, são inúmeras as irregularidades que podem ser encontradas na cobrança de dívidas.

Conclusão

Antes de negociar dívidas, se faz necessário que o devedor tenha ciência de todas as informações relativas sobre as mesmas e consequentemente da sua capacidade de pagamento, isso poupará o desperdiço de tempo, e manterá o foco do mesmo nos acordos e nos valores desejados.

Por fim, não importa se você tem dívidas no Acre, Rio Branco, Alagoas, Maceió, Amapá, Macapá, Amazonas, Manaus, Bahia, Salvador, Ceará, Fortaleza, Distrito Federal, Brasília, Espírito Santo, Vitória, Goiás, Goiânia, Maranhão, São Luís, Mato Grosso, Cuiabá, Mato Grosso do Sul, Campo Grande, Minas Gerais, Belo Horizonte, Pará, Belém, Paraíba, João Pessoa, Paraná, Curitiba, Pernambuco, Recife, Piauí, Teresina, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Natal, Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rondônia, Porto Velho, Roraima, Boa Vista, Santa Catarina, Florianópolis, São Paulo, São Paulo, Sergipe, Aracaju, Tocantins ou Palmas, pois, o serviço advogados online está disponível para todo o Brasil.

Fonte: Advogados - Advluz.com | acesso as 16:00 em 13/08/2018
<https://www.advluz.com/2018/08/dividas-aprenda-em-7-passos-como-negociar.html>
[Advluz] - Dívidas: Aprenda em 7 passos como negociar [Advluz] - Dívidas: Aprenda em 7 passos como negociar Avaliado por Advogados on 8/13/2018 12:04:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.